Ver site do projeto A2

Sobre

    Escritor, pensador, místico, autodidata, nasceu em 1992, no Acre. Aos 20 anos de idade Bruno Borges relata ter passado por uma experiência mística que mudou completamente sua vida, na qual acredita ter recebido uma missão. Durante os próximos 5 anos procurou a verdade da vida em livros de todas as áreas do saber e percorreu as experiências da alquimia em busca da iluminação. Desenvolveu estudos nas áreas da criatividade, epistemologia, cosmogonia, comportamental e antropológica, estando esta última relacionada às experiências espirituais pelas quais veio a passar. Também escreveu obras sobre filosofia política e metafísica, romances, entre outros assuntos. Bruno Borges se formou em Psicologia, e elaborou metodologias para expandir a criatividade e induzir estados de iluminação temporária.

    Logo após retornar de seu retiro espiritual, depois de cumprir seu projeto, Bruno Borges recusou mais de 100 propostas para comparecer em redes televisionadas ou canais da internet. Também recusou participar de propagandas que lhe foram propostas, de marcas famosas que lhe pagariam valores de até 50 mil reais, com o objetivo de mostrar que não era dinheiro que buscava e sim compartilhar o seu conhecimento. Bruno reconhece que o ganho monetário é importante na vida de um artista para a elaboração de projetos futuros, porém, sua prioridade sempre foi a divulgação de suas obras, e elaborou este website para divulgá-las livremente.

    A mídia sensacionalista, que cada vez mais vem perdendo sua credibilidade por reportar histórias através da criação de algo ofensivo em busca de uma grande audiência, passou uma ideia de que o autor elaborou todo um plano para ficar rico e famoso com livros de filosofia, e, mediante estas falsas acusações, o autor mostrou judicialmente que os ganhos com seu projeto foram mínimos, não compensando sequer o custo de seu desenvolvimento.

    Para Bruno, a arte deve ser produzida com o objetivo de despertar as pessoas, e, para o mesmo, lamentavelmente a grande maioria dos artistas produzem conteúdos que, ao invés de despertar, alienam...

Sobre